terça-feira, 13 de dezembro de 2011

Concurso Nacional de Leitura


Uma vez mais, o Agrupamento pretende participar neste concurso, no qual, nos três últimos anos, os alunos obtiveram excelentes resultados.

A equipa da Biblioteca e o Departamento de Línguas relembram que este concurso do PNL (Plano Nacional de Leitura) visa desenvolver os hábitos de leitura e dos alunos do 3º ciclo e Ensino Secundário e desenrola-se em três etapas:

- Uma primeira etapa a nível de escola:

Durante o primeiro período, os alunos terão que ler os dois livros escolhidos pela equipa da Biblioteca para cada um destes ciclos de ensino, e no dia 11 de Janeiro, será feita uma prova escrita para seleccionar os três melhores leitores de cada ciclo.

- Uma secunda etapa a nível distrital:

Durante o 2º período os alunos seleccionados terão de ler os dois ou três livros escolhidos pelo Júri distrital e, no final do período, realizar uma prova (numa das Bibliotecas Municipais do distrito de Bragança) para apurar os dois vencedores deste Distrito que passarão à fase final.

- A 3ª etapa, fase nacional:

Durante o 3º período, serão escolhidos a nível nacional, mais dois ou três livros, e a prova final, terá lugar, no final do mês de Maio, em Lisboa, num programa televisivo da RTP1. Todos os participantes receberão diplomas e prémios, havendo uns prémios mais importantes para os primeiros (viagens, computadores,..).


Este ano, foram seleccionadas as obras seguintes para a primeira etapa:

Para o 3º ciclo:

- Quero ser outro de Ana Maria Magalhães e Isabel alçada

- Os Lusíadas contados às crianças e relembrados ao Povo de João de Barros.

Para o Ensino Secundário:

- O Diário de Anne Frank

- Contos de Vergílio Ferreira


Para os indecisos que ainda não se inscreveram no concurso, cujo registo e inscrição a Biblioteca deve fazer até ao final da primeira semana de Janeiro, leiam neste espaço a sinopse dos livros.

Inscrevam-se e aproveitem a leitura destes livros para a realização dos Contratos de leitura das disciplinas de Português e de Literatura Portuguesa !


 
Consultem o regulamento em:


Sinopses dos livros:

“Quero ser outro” de Isabel Alçada e Ana Maria Magalhães


“Alexandre estava farto da escola, farto da família, farto da rapariga que o persegue e de quem não gosta, farto da paixão pela rapariga de quem gosta e que não gosta dele, farto de si próprio.

Uma noite, nas Docas, encontra um rapaz muito parecido com ele que lhe diz andar embarcado ao serviço de um milionário e estar farto do patrão, das viagens constantes e de ver só mar dias seguidos. Resolvem então trocar de identidades por um mês e partem para a grande aventura de ser outro.”

publicado em http://www.wook.pt/ficha/quero-ser-outro/a/id/181757



Os Lusíadas de Luís de Camões Contados às Crianças e Lembrados ao Povo” de João de Barros


Esta é uma adaptação em prosa do imortal épico poema de Camões “Os Lusíadas” que recria uma das páginas mais importantes da história do povo português: a fantástica viagem da frota de Vasco da Gama à Índia, com muitas heróicas aventuras, por mares nunca antes navegados, combatendo “monstros” e tormentas.

Vais ver que te arrependerias de não leres este livro!



Livros para o Ensino Secundário:

Contos de Vergílio Ferreira


“Vergílio Ferreira, escrevendo no Portugal de Salazar, descreve um país ancorado nos confins dos tempos e que permaneceu inalterado quase até aos nossos dias.

Frases magníficas, num português sem rugas, mas que nos introduzem afinal num mundo primitivo, com as suas anacrónicas noções de honra e os seus insólitos rituais de inspiração bíblica.

O Vergílio Ferreira-contista nada fica a dever ao Vergílio Ferreira-romancista: em qualquer dos casos é sempre um vulto maior das nossas letras.”

Texto retirado da página http://www.wook.pt/ficha/contos/a/id/1876035

O Diário de Anne Frank


“Anne era uma rapariguinha de uma família judaica de Frankfurt que se refugiou na Holanda para escapar às perseguições nazis. Invadido este país, a família esconde-se com outras pessoas num "anexo" de uma casa, onde, protegida por gente corajosa e dedicada, consegue viver largo tempo sempre no terror de ser descoberta. Acabou por sê-lo. E o diário de Anne foi encontrado por acaso num monte de papéis velhos. Anne veio a morrer no campo de concentração de Bergen-Belsen. Mas o diário que essa rapariguita escreveu é, na sua perspicácia e na sua desenvoltura adolescente, um documento, um autêntico documento humano - e, só pelo facto de existir, um protesto contra as injustiças do mundo em que vivemos.”

Texto retirado da página: http://www.wook.pt/ficha/o-diario-de-anne-frank/a/id/10945830


Lenda de S. Martinho pela EB1 de Torre de Moncorvo


Ver o filme:



video




segunda-feira, 12 de dezembro de 2011

Feira do Livro do Agrupamento




Está a decorrer, na Biblioteca Escolar, a Feira do Livro do Agrupamento, organizada em colaboração com os Departamentos de Línguas, de Ciências Sociais e Humanas e do 1º ciclo.
Os visitantes da Feira para além de poderem comprar livros para todas as idades com preços especiais, podem ainda admirar ( e ler) os magníficos trabalho dos alunos do 4º ano. Devido ao interesse manifestado pelos nossos utentes, mantiveram-se também as fotografias das Minas de Ferro. Na zona de leitura e pesquisa, podem ainda ser admirados os originais trabalhos feitos pelos alunos da professora Sara.

Venham visitar a Biblioteca...e comprem a melhor prenda de Natal : um livro para viajar a custo muito reduzido!







A nossa árvore dos livros:



Palestra na Biblioteca

No dia 2 de Dezembro, o Dr. Nelson Rebanda  fez uma palestra na nossa biblioteca  sobre as Minas de Ferro em Torre de Moncorvo, aos alunos do 8ºC.  Nesta actividade, o representante do Museu do Ferro, para além duma abordagem muito interessante sobre o património de Torre de Moncorvo, fez uma exploração de fotografias antigas das minas  de ferro (gentilmente emprestadas pelo Museu para serem expostas na Biblioteca Escolar). Os alunos ficaram a saber mais sobre o trabalho nas minas e sobre a importância económica e social  destas na  nossa região.
A exposição destas fotos vai manter-se até ao fim do mês e a mesma deve ser complementada com uma visita ao Museu do Ferro e à exposição temporária muito interessante que aí está a decorrer. Numa altura em que, felizmente, se volta a falar da reactivação das minas, é um marco da história de Torre de Moncorvo que faz todo o sentido relembrar.